Projeto Aeronáutico II da Licenciatura em Ciências Aeronáuticas 

Autor: Rui Pedro Caseiro Mesquita
Orientadores: Professor Rui Cavaco

Data: Julho 2018 

 

Resumo

Com este projeto pretende-se a identificação de causas que contribuem com correlação positiva com acidentes que impliquem danos ou perdas de vida no solo. Serão analisadas aeronaves de asa fixa, com recurso próprio de motorização e com um peso máximo à descolagem não superior a 5700kg, considerando assim toda a aviação ligeira e ultraligeira motorizada em Portugal.

Palavras Chave: 
Aviação ligeira, Aviação ultraligeira, Aviação motorizada, Aeronaves. 

 

 

Modelo de Simulador de Efeitos de Risco Sísmico em Meio Urbano, integrado num Sistema de Informação Geográfica, como instrumento de apoio ao planeamento de emergência em Protecção Civil e informação pública 

 Projeto Licenciatura em Engenharia da Proteção Civil 

Autor: João C. Bonacho
Orientador: Professor Doutor Carlos Alberto Ferreira de Sousa Oliveira

Data: Julho 2016 
 

Resumo

Numa época em que as catástrofes são cada vez mais responsáveis por danos económicos e sociais, urge abandonar a ideia de encarar essas mesmas catástrofes como fatalidades, criando planeamento de emergência genérico e muitas vezes estéril, descurando a capacidade de fundamentar o planeamento de emergência sobre cenários de danos, produzidos por modelos matemáticos. Assim, procurou-se de uma forma metodológica estudar a literatura existente e os simuladores desenvolvidos a nível mundial, que pudessem contribuir para a criação de um modelo de simulador de risco sísmico em meio urbano, baseado em dados de edificado e população disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Foi também necessário, pela inexistência de dados, caracterizar todo o solo do Continente, com parâmetros de velocidade das ondas de corte a 30 metros, através do processamento do relevo, baseado em modelos digitais de terreno, para posterior classificação com a escala de solos Eurocódigo-8 (EC-8). Os resultados gerados pelo simulador são fornecidos em ficheiros de dados, ao nível da subsecção estatística, com a caracterização dos danos – número de edifícios em cada estado de dano e número de residentes desalojados, feridos graves ou mortos, permitindo assim uma análise detalhada e a sua inclusão em planeamento de emergência, nomeadamente para detecção de locais problemáticos em danos de edificado - necessidade de remoção de escombros, avaliação da capacidade estrutural dos edifícios, etc, assim como para as áreas onde haverá necessidade de solucionar problemas de desalojados, hospitalização ou serviços de mortuária. Paralelamente criou-se uma aplicação web, baseada num sistema de informação geográfico que permite a qualquer leigo na área de risco sísmico – o comum cidadão – visualizar de forma interactiva os vários tipos de danos espectáveis, geograficamente, num interface tipo Google Earth, para sismos intra-placa e inter-placa, com os parâmetros de aceleração definidos pelo EC-8. A plataforma está acessível em http://sers-mu.bonacho.pt.

Palavras Chave: 
Risco sísmico, Simulador, Sistemas de Informação Geográfica, Planeamento de emergência, Informação pública 

 

 

 

Projeto Aeronáutico II da Licenciatura em Ciências Aeronáuticas 

Autor: António Tomaz 
Orientadores: Prof. João Morgado e Prof. Luís Teixeira 

Data: Julho 2018 

 

Resumo

O trabalho efectuado consiste num relatório do projeto final de curso de ciências aeronáuticas cujo tema é a realização de um CBT do sistema Garmin G1000, parte da instrumentação de voo, que equipa as aeronaves Cessna 172S. A designação de CBT refere-se ao material e condições que são proporcionadas ao formando para aquisição de conhecimento, sendo que o trabalho que realizei consiste na análise deste método de formação e da preparação daquilo que é chamado o storyboard ou guião para o material áudio e vídeo a produzir como produto final, isto é o CBT.
Neste trabalho abordei as questões relacionadas com a formação, aspecto da avaliação e forma de elaborar um programa, destacando a formação com base num computador, suas vantagens e inconvenientes suportados em alguns exemplos.
Como o equipamento para o qual se vai fazer o CBT é um sistema de aeronaves foi explicado genericamente o seu funcionamento e unidades constituintes, bem como foi caracterizada a aeronave que utiliza esse tipo de sistemas.
Os aspectos técnicos da construção do programa de formação foram também explicados para além da metodologia de suporte que irá permitir realizar o CBT que responda às exigências da organização que o irá utilizar.
Todo o trabalho para a elaboração do CBT é sintetizado no documento em anexo designado com CBT Garmin 1000 storyboard ou guião que irá servir de documento base à elaboração da animação a realizar pelos designers da empresa ETI.

Palavras Chave:
Formação baseada em computador CBT, instrumentação de voo G1000, aeronave Cessna 172, avaliação da formação.

 

 

Projeto Aeronáutico II da Licenciatura em Ciências Aeronáuticas 

Autor: Pedro Areias
Orientador: Joaquim Sousa

Data: Julho 2018 
 

Resumo

O treino no mundo aeronáutico tem sido alvo de uma constante evolução, na medida em que tem acompanhado os recentes progressos a nível tecnológico. Com a sofisticação da tecnologia é possível criar novos planos de treino e formação, aumentando assim o nível de eficácia, a sua acessibilidade a segurança aeronáutica e diminuindo o seu custo. Neste trabalho será desenvolvido o tema walk-around, explicitando a importância e utilização nos vários tipos de produtos relativos à realidade virtual. Serão abordados também, os diferentes tipos de interações que o utilizador poderá virtualmente desempenhar e o software que irá ser utilizado para desenvolver a aplicação de walk-around, sendo esta a base de desenvolvimento de todo este projeto.

Palavras Chave: 
Walk-around, Realidade Virtual, Treino e formação aeronáutico Imersividade, Checklist, Simulador.

 

 

 

 

Projeto LICENCIATURA EM ENGENHARIA DE PROTEÇÃO CIVIL

Autor: João Carlos Mesquitela
Orientadores: Professor Doutor João Carlos Verde

Data: Maio 2018 

Resumo

No domínio da proteção e socorro às populações, as autoridades precisam deter mecanismos de aviso em situações de perigo, de uma forma célere e em tempo útil, padronizada e reconhecida pelos destinatários. Esta necessidade é particularmente notada em situações de emergência, como as criadas por desastres naturais ou tecnológicos, quando se pretende informar a população numa determinada área das ações que devem executar para limitar os danos potenciais. Atualmente, Portugal dispõe de um número limitado de soluções para uma comunicação eficiente com a população em situações de perigo. Esta carência foi, aliás, bem evidente aquando dos incêndios do verão de 2017, que resultaram em mais de 100 fatalidades e vários feridos graves. Assim, atento o racional prévio, em que se manifesta a relevância de um Sistema de Aviso, assume-se como objetivo deste trabalho responder à necessidade identificada no relatório da comissão técnica independente, constituída para estudar o fogo de Pedrógão Grande: A criação de sistemas de aviso e alerta que cheguem mais rapidamente às populações de modo a que as mesmas se possam proteger. Neste trabalho fazemos uma comparação dos diversos sistemas internacionais existentes, sendo que os referenciais teóricos apresentados focam o processo de construção e envio de um aviso através de diversas teorias que fundamentam o processo de envio de um aviso de emergência. Desta comparação delineamos, com base em dados estatísticos e empíricos, qual o melhor canal para a difusão de um aviso de emergência em Portugal. Sabendo que em si mesmo qualquer canal de disseminação de aviso de emergência possui restrições relativamente à sua capacidade de alcance global (população em risco), a solução proposta é a adoção de um mecanismo que conjugue o melhor de cada canal, assim como o seu alcance, para em conjunto abranger a totalidade da população-alvo, optando por um sistema de aviso multicanal. Portugal possui distintos canais elegíveis para a criação de um sistema de aviso de emergência, e destes, após a necessária análise, evidenciam-se os canais Sirenes, Rádio, Televisão, Internet e SMS como propostas elegíveis para o futuro Sistema de Aviso Antecipado de Emergência em Proteção Civil.

Palavras Chave: 
Proteção Civil, Sistemas de Aviso e Alerta, Portugal, CAP